sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Amar

Não há metáforas que dêem conta,
comparações inúteis são,
olhe em meus olhos e veja,
a certeza que buscas encontrarás,
falo com o silêncio,
 sorrio com os olhos e brindo com beijos

Minha criança

O teclado me lembra um piano e começo a tocar a música do meu coração deixando as palavras derramarem pelos meus dedos. É um doce lamento. Não sei se sei viver. Não sei se sou feliz ou me acostumei a minha vida. A vida que é mais fácil de se viver. Por vezes sou tomada por uma fome de saber, de lembrar de tudo o que vivo ou vivi, de me recordar de cada detalhe que leio. Se eu fosse ler tudo o que quero teria que ter 10 olhos, um em cada ponta dos dedos, como já dizia minha avó. "Paciência", é a palavra que me vem a mente nesses momentos. Sim, é preciso ter paciência comigo, com a própria vida, com as pessoas, com os dias, com os anos. É uma lição importante demais para se aprender em um único dia. Mas não me culpo, tendo me entender. Tenho curiosidades sobre o mundo, acho a vida incrível e as pessoas também. Acho minha vida incrível. Me admiro e me encanto com todas as maravilhas possíveis de serem admiradas: a natureza, o tempo, as pessoas, a música, a poesia, as línguas, a história...E sim, sou fantasiosa como uma criança, nunca soube o que é viver sem ela, minha criança.

Pelas coisas inanimadas que dão felicidade - Parte 1 - Cor Laranja

Para a minha cor favorita do ano

Laranja, nome de fruta e cor
Cor do sol das tardes
Vibrante, irradia alegria
Acordo pronta pro meu dia
Só te de olhar




Malditos

Aonde estará o que me restou?
Dias tristes, culpados, mal-feitos
Encaro os três malditos
Medo, Orgulho, Vaidade
Um deles me aprisiona
Um outro me flajela
O terceiro me corrói
Arma em punho
Sei onde estão todos os três
Espelho
Ali estão todos eles
Haverá conversa?
Negociação?
Chega a sinistra Covardia
'Abaixa a arma'
Me deita no chão
Espelho
Encaro os quatro malditos
Deito, choro, adormeço
Adormeço
Adormecer
A dor me ser
Dor meu ser





terça-feira, 2 de agosto de 2016

O grito do silêncio

O que te move?
O que te faz acordar todos os dias?
O que você faz, faz sentido para você ? 
Qual o primeiro pensamento que você tem? Ele é repetitivo?
Qual a sua maior verdade?
Qual a maior decepção da sua criança interior?
Como você lida com o que te incomoda?

"Quando a gente pensa que sabe todas as respostas vem a vida e muda todas as perguntas"

Não é isso.
Ter que fazer.
Não mais.
Sim. Sair daqui.
Não há verdade nenhuma.
Ela não é mais ouvida.
Preciso reaprender.

Não há mais um caminho.
Não há mais respostas.
Choro profundo.

Quando haverá coragem?
Qual o maior medo?

Quando se arrepender não fizer mais sentido.