quarta-feira, 9 de abril de 2008

Felicidade

Estou feliz
Estado de graça
Que a gente tenta congelar
E não perder de vista

Mas não,
Deixo a felicidade ir e vir
Ela gosta de navegar nas emoções
E como gosta, ela vê graça nisso
E tem razão

Às vezes a gente a quer tanto
que perde a graça, de repente...
E é por isso que ela vem,
mas ela vai também,
pra ensinar a gente a não correr tanto
o caminho pode ser outro!

Fecho os olhos
Por que ela não é muito de se ver
Nem procuro
Felicidade não tem GPS
Ela gosta é de brincar
De esconde-esconde, se você quiser

Se deixe encontrar por ela
Não esconda tão dificilmente
E não ache que ela também está muito bem escondida
Que nada...
Ela está atrás da porta, do outro lado da rua, atrás do poste...
A inocência da felicidade é o que a faz mais rara e bonita

Ah, maravilha é quando a gente se perde nela
Ela vira mar e a gente barco
Ela trás o céu e a gente os olhos
Ela canta e a gente a dar-lhe os ouvidos,
se encanta,
e só ri.
E sorri...

Um comentário:

girlanneorricosta disse...

Puxa vida! Tenho q comentar essa tb. Graciosa,divertida,rítmica,
misteriosa...simples e profunda...
Bem representada essa tal FELICIDADE.